Manifestação de trabalhadores da Autoeuropa Unidos contra as alterações ao Código de Trabalho

Publicado em .

 
Pelas 7h30, os trabalhadores começaram a juntar-se frente à entrada da Autoeuropa para manifestarem o seu desagrado e deixarem um "aviso" ao Governo, numa acção que terminou perto das 8h00.
 
"Foi um forte aviso ao Governo, os trabalhadores da Autoeuropa não são uma ilha como se costuma dizer, principalmente em relação ao pacote das horas. O que temos na Autoeuropa é mais 25 dias de paragem pagos pela empresa e não um banco de horas. A questão colocada em discussão é um pacote de horas que não existe em país nenhum da Europa", disse Paulo Faleiro, coordenador da Comissão sindical da STMMIS.
 
Durante as intervenções dos responsáveis sindicais presentes, foi deixado um aviso ao primeiro-ministro, José Sócrates, para que pegue no exemplo da empresa e o aplique pelo país, lembrando que o acordo estabelecido com a empresa "defende o emprego".
 
As questões dos contratos colectivos de trabalho, da precariedade e do banco de horas foram alvo de mensagens que foram colocadas em balões e lançadas no final das intervenções.
 
Paulo Faleiro defendeu que a manifestação de hoje demonstrou que existe união entre os trabalhadores da Autoeuropa e das restantes empresas do parque, explicando que estão prontos para uma greve geral caso o Governo não recue nas suas intenções.
 
"No dia de hoje está provado que a união entre trabalhadores existe e mantemos reuniões mensais. Os trabalhadores estão prontos para uma greve geral, que é o que vai acontecer se o Governo continuar a apregoar estas medidas", afirmou.
 
 
Arquivo SIC
Publicação: 05-06-2008 12:47 | Última actualização: 05-06-2008 12:51 Manifestação de trabalhadores da Autoeuropa Unidos contra as alterações ao Código de Trabalho Várias centenas de trabalhadores da Autoeuropa e de empresas do restante parque industrial manifestam-se hoje contra as alterações no Código de Trabalho defendidas pelo Governo.
 Lusa