Encerramento da General Motors

Publicado em .

Trabalhadores da Autoeuropa propõem colaboração para manter empresa.

 Os trabalhadores da Autoeuropa, empresa sediada em Palmela, propuseram, no dia 16 de Junho, durante a manifestação dos trabalhadores da Opel, que parte da Combo, o modelo da Opel que a General Motors (GM) quer transferir para Saragoça, seja fabricado nas prensas da fábrica de Setúbal, o que reduziria os custos de produção da unidade da Azambuja.

 

 Coube a Paulo Vicente, coordenador da comissão de trabalhadores da Opel, a apresentação, ao presidente da Câmara Municipal da Azambuja, da ideia que partiu dos elementos da comissão de trabalhadores e da comissão sindical da Autoeuropa.

 O coordenador confessou que a ideia de colaboração entre as duas empresas partiu dos trabalhadores da fábrica de Palmela, sem o aval da administração desta empresa, no entanto, Paulo Vicente salientou que esta poderá ser uma ideia funcional para manter a empresa da Azambuja activa, pelo menos “até 2009”, reduzindo para cerca de metade os custos de produção, por veículo, na unidade da Azambuja.

 Apesar da boa vontade dos trabalhadores da Autoeuropa, o porta-voz da empresa garantiu no dia 16 de Junho, em declarações à Agência Lusa, que não existe “nenhuma proposta da Volkswagen Autoeuropa para produzir peças para a Opel Azambuja”. “Vamos precisar da capacidade instalada na nave de prensas para os novos projectos da Autoeuropa”, explicou o responsável à Lusa.

 De referir que a manifestação dos trabalhadores da GM, cerca de 1.200, contou com as presenças dos representantes dos trabalhadores da Autoeuropa, assim como dos deputados Bernardino Soares, do Partido Comunista Português, e António Chora, do Bloco de Esquerda. Presente esteve ainda o secretário-geral da CGTP, Manuel Carvalho da Silva.

 Este artigo encontra-se em : www.diariodobarreiro.pt/economia