Comunistas portugueses condenam actos provocatórios e de intimidação contra o Partido Comunista do Chile

Publicado em .

Face aos violentos ataques perpetrados contra o Partido Comunista do Chile nos últimos dias o Secretariado do Comité Central do PCP enviou aos comunistas chilenos a seguinte mensagem de condenação pelos actos provocatórios de intimidação e de solidariedade para com os comunistas e o povo chileno em luta:

«O Partido Comunista Português repudia veementemente os actos criminosos de agressão perpetrados contra o Partido Comunista do Chile nos últimos dias, nomeadamente o violento ataque desencadeado dia 12 de Setembro contra a sede do vosso Partido em Santiago, cuja responsabilidade recai nos sectores mais retrógrados e reaccionários da sociedade chilena e nos seus agentes provocadores.

Estes actos provocatórios são uma clara manifestação do mais primário e perigoso anti-comunismo - que traz à memória algumas das mais obscuras páginas da história recente do fascismo chileno - e uma deplorável tentativa de intimidação, visando conter o reforço do vigoroso movimento operário e popular e da sua luta por efectivas transformações democráticas e progressistas, que congrega já o apoio de milhões de chilenos.

O PCP junta a sua voz às de todos aqueles que exigem um apuramento cabal das responsabilidades por tão bárbaros actos, a condenação e punição dos seus autores e a garantia pelo Estado chileno do livre exercício das liberdades e direitos democráticos e cívicos no Chile.

O PCP reitera a sua profunda solidariedade para com o Partido Comunista do Chile, para com os seus militantes e activistas, bem como para com as lutas sociais em que convergem amplas camadas e sectores do movimento popular e dos trabalhadores chilenos.

Certos de que os comunistas e o povo chilenos saberão responder às manobras de provocação e intimidação perpetradas pela reacção chilena com a sua força e unidade em torno das suas justas reivindicações e aspirações, enviamos-vos, queridos camaradas, as nossas fraternais saudações.»

16.9.2011
Gabinete de Imprensa do PCP